BOLSA GAY: Governo pagará SALÁRIO MÍNIMO DE R$ 954 e APOSENTADORIA para homossexuais por invalidez

Alexhenri|2018-05-15

Para receber o salário do governo, as beneficiárias terão que comprovar presença nas aulas.

Segundo o site O GLOBO de acordo com o Projeto de Decreto Legislativo 534/11 o Governo Federal anunciará no fim do mês a criação de uma bolsa de um salário mínimo mensal (R$ 954) para que, inicialmente, todos os travestis e transexuais das capitais Brasileiras voltem a estudar e se matriculem em cursos técnicos do Pronatec e tratamentos psicológicos causados por homofobia. Para receber o salário do governo, as beneficiárias terão que comprovar presença nas aulas. A exigência é semelhante à do principal programa de transferência de renda do governo federal, o Bolsa Família.

Com apoio total da REDE GLOBO, o comercial começará a circular em toda a mídia a partir do dia (28) incluindo TV e Redes Sociais.

A iniciativa é inédita no Brasil e na América do Sul e custará cerca de R$ 10 milhões aos cofres públicos em 2018. O valor é 8 vezes maior do que o orçamento do próprio governo federal para ações voltadas ao público LGBT no ano passado.

Além de garantir educação (em salas mistas de duas escolas municipais nas capitais), o programa obriga as beneficiárias a prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em troca, além do dinheiro, o governo irá fornecer hormônios femininos para as travestis em unidades básicas de saúde.

INSS - APOSENTADORIA GAY

O Governo também aprovou a aposentadoria compulsória por invalidez, para todos os gays, lésbicas e transexuais. Na avaliação de ativistas homossexuais. “Se somos doentes, somos inválidos. Logo, temos que nos aposentar”, afirma Toni Reis, diretor-executivo do grupo Dignidade, de apoio a homossexuais. Ele foi o primeiro a encaminhar, na quarta-feira, pedido de “aposentadoria compulsória retroativa por homossexualismo”.

Para não "quebrar de vez a Previdência Social", o governo começará a cobrar impostos de igrejas em todo o território brasileiro.

Prefeitura de São Paulo tem “auxílio-gay”

Chamado de “Transcidadania“, o projeto implantando na capital paulista em 2015 iria pagar bolsas de estudo de R$ 840 para travestis e transexuais em situação de vulnerabilidade social.

No site da Prefeitura de São Paulo é explicado que o projeto é destinado a promover os direitos humanos e a cidadania. O valor do benefício é de R$ 983,55 e os participantes receberam em troca de execução de atividades relacionadas à conclusão da escolaridade básica e preparação para o mercado de trabalho.

O Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 534/11, de autoria do deputado Duarte Nogueira, susta a portaria do Ministério da Educação (1/10) que proíbe alunos de cursos superiores não presenciais de utilizarem os recursos do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). Se aprovada, o projeto permitiria que o aluno de ensino superior a distância possa ter acesso ao Fies.

Já, no Senado, o Projeto de Lei do Senado n° 534, de 2011, regulamenta o inciso VII do art. 153 da Constituição Federal, para dispor sobre a tributação de grandes fortunas.

Conclusão

A notícia afirmando que o Governo Federal aprovou um auxílio e aposentadoria para gays, travestis e transexuais é falsa e já circula desde outubro de 2017.