Furúnculo: O que é, o que causa o problema e como evitá-lo

O furúnculo pode ser confundido com uma espinha se não souber observar os sintomas. Veja quais são e como tratar.

O furúnculo pode acontecer na pele de qualquer pessoa e precisa de cuidados especiais para que não se agrave. Há quem tenha mais facilidade de ter, fazendo com que o problema ocorra várias vezes ao longo da vida. Mas com as medidas preventivas adequadas, você pode reduzir o risco consideravelmente.

Veja agora o que exatamente é um furúnculo, seus tipos, causas, sintomas e tratamentos. Saiba também se ele pode ser transmitido de uma pessoa para outra.

O que é furúnculo?

Quando surge um furúnculo na pele ele se parece muito com uma espinha, mas possui grandes diferenças. O furúnculo é uma infecção causada por alguns tipos de bactérias, sendo mais comum a Staphylococcus aureus.

A infecção pode afetar uma ou mais camadas da pele, e quanto mais profundo, maior fica a inflamação, formando um nódulo endurecido, com as bordas avermelhadas e aquecidas – sintomas típicos de inflamação –, e com presença de pus.

Tipos

O furúnculo pode evoluir para outros dois tipos mais sérios de infecção:

* Carbúnculo: quando se espalha para outros poros e formam vários pontos de infecção, formando um grande abcesso, muito dolorido, que normalmente afeta a região da nuca.

* Furunculose: este tipo ocorre quando o mesmo corpo é infectado por vários furúnculos, mas em pontos diferentes, e não agrupados em um só.

Causas

As bactérias que causam o furúnculo vivem na pele, então são normais e não causam problemas enquanto estão só na superfície.

Mas quando entram na pele através de uma feridinha aberta, picada de mosquitoe até mesmo quando espreme uma espinha que demora para cicatrizar, infeccionam e formam o furúnculo.

Ele pode surgir apenas pela contaminação, quando a pessoa está com o sistema imunológico fraco, abrindo espaço para bactérias e outros micro-organismos. Mas também pode ser transmitido.

Sintomas

Os sintomas do furúnculo podem ser de vários níveis, desde um incômodo pequeno, como uma coceira quando leva uma picada ou quando se tem uma espinha que dói quando encosta, até vermelhidão, calor na região, dor, suor ao redor da ferida e febre.

Ele costuma aumentar de tamanho com o passar dos dias, bem como a intensidade dos sintomas, que podem reduzir aos poucos ao final de uma semana ou se agravarem ainda mais, sendo necessária a visita ao médico.

Os locais mais comuns de ocorrer são nas coxas, nádegas, rosto, axilas e pescoço, e outras áreas com maior quantidade de pelos.

Tratamentos

Em boa parte dos casos o furúnculo vai embora sozinho ao longo de uma semana, seja porque seca ou estoura e o pus acaba saindo e removendo a inflamação que estava causando dor.

Quando perceber um início de furúnculo, a melhor opção é fazer compressas quentes no local, algumas vezes ao dia, para estimular a drenagem do pus por conta própria e aliviar os sintomas. Também é importante manter o local sempre limpo e protegido, mas permitindo a circulação de ar.

Pode acontecer de ele ter atingido uma camada mais profunda da pele ou de o paciente estar com a imunidade baixa e mesmo depois de uma semana e meia ou duas, a infecção ainda apresentar todos os sintomas.

Nesse caso é necessário procurar um médico para avaliar a gravidade do problema, de acordo com os sintomas e local em que a infecção está instalada.

O tratamento pode ser desde pomadas antibióticas e compressa quente, até uma pequena incisão para remoção do líquido infeccionado no interior da ferida.

As pessoas que convivem com o paciente também vão receber a recomendação médica de tomar o cuidado de não compartilhar objetos e passar uma pomada específica no nariz todos os dias para não serem infectadas pelo ar.

Furúnculo é contagioso?

Não necessariamente a pessoa que estiver em contato com o paciente vai ter um furúnculo. Porém, sim, a bactéria causadora da infecção é contagiosa. Seja pelo contato com o local infectado ou mesmo pelo ar.

Quem tem um furúnculo precisa tomar o cuidado de não compartilhar roupas, lençóis, toalhas e outros objetos de uso pessoal que encostem na inflamação.

Além disso, é muito importante que o paciente sempre esteja com as mãos bem limpas e não fique tocando o furúnculo a todo momento. Isso pode espalhar as bactérias, aumentando o risco de transmissão.

Justamente por ser contagioso até mesmo para outras partes do corpo da mesma pessoa, nunca deve-se espremer um furúnculo! As bactérias presentes da infecção irão se espalhar e formar o carbúnculo ou a furunculose, como já explicados anteriormente.

Se acontecer de o furúnculo abrir sozinho e espalhar o pus na roupa ou na cama, estas devem ser lavadas e desinfetadas imediatamente.

Tem prevenção?

Algumas pessoas possuem uma predisposição maior de ter furúnculos, como os diabéticos, obesos, quem já tem outros problemas de pele e pessoas com HIV, por causa da baixa imunidade.

Então, manter a saúde sob controle, tomando a medicação corretamente e alimentando-se bem é fundamental, além de manter bons hábitos de higiene e evitar roupas muito apertadas que impeçam a boa circulação e a respiração da pele.

Dica: Use óleo de melaleuca

Os benefícios do óleo de melaleuca para a pele são muitos, então ele pode ser um bom aliado para o tratamento do furúnculo, desde o início. Pode aliar com as compressas quentes e a assepsia constante no local da infecção.

Mas vale lembrar que se os sintomas persistirem por mais de uma semana, o médico deverá ser consultado. E as dicas deste artigo jamais devem substituir uma consulta com um profissional de saúde.

Artigos Recomendados